Home seta Especial seta Nada como um bom cafezinho!

Guia

Especial
E-mail

 Nada como um bom cafezinho!

cafe490.jpg 
Muita gente aprecia um bom cafezinho, seja ele coado, expresso ou instantâneo. Pode ser de manhã, depois do almoço ou à tarde, simplesmente para fazer um break no trabalho.
   
E, no inverno, com alguns toques, sempre traz um calor a mais.
 

O Dia do Café
    

Existe o dia do café, nacional e internacional: o dia 14 de abril é o Dia Internacional do Café e, no Brasil, o Dia Nacional do Café é o 24 de maio. Sempre uma boa desculpa para tomar um cafezinho.

        

Somos apreciadores da bebida. E como! Mas como tudo, o cafezinho tem de atender alguns requisitos, além de ser bom, é claro.

   
O momento requer descontração, então, um ambiente tranquilo e de preferência charmoso é o primeiro requisito. O segundo são os complementos. Para o expresso ou carioquinha, o acompanhamento ideal é um pequeno copo de água com gás e um biscoito (ou pastilha de chocolate). Finalmente, o último requisito, não só para cafezinhos, mas para qualquer serviço prestado, é o bom atendimento! Quando encontramos estes requisitos, o local passa a ser o ponto do café, com visitas quase que diárias.

Piscar Onde tomar: clique aqui...

  

O cafezinho em casa 
    
Algumas dicas para preparar café em casa. Tome nota:
   
1 - Preste atenção no rótulo. Se há o nome da fazenda, é sinal de que se trata de um café de alta qualidade.
   
2 - Moa os grãos na hora. As substâncias responsáveis pelos melhores aromas e sabores de café oxidam 20 minutos após a moagem.
    
3 - Use água mineral, pois ela não contém cloro, que destrói os óleos essenciais do café. Á água da torneira, mesmo que fervida, mantém altos teores de cloro. Os filtros que usam carvão ativado também servem.
    
4 - Se você mora em um local no nível do mar, melhor não ferver a água. Se está acima dele, ou seja, em cidades como São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, cidades de serra etc, pode ferver a água, pois a temperatura de fervura é inferior a 100° C. A água não pode entrar em ebulição, pois ela perde o oxigênio que reage com os óleos essenciais do café. Deixe apenas entrar em fervura e apague o fogo.
  
História do café
   
Café é coisa brasileira. Determinou grandes momentos da nossa história, ditou políticas e comportamentos, é da nossa cultura. Nós não temos o hábito do chá das cinco, como os ingleses, mas é só chegar uma visita em casa, que corremos para fazer um café fresquinho, "passado na hora".Durante muito tempo o nosso simpático cafezinho ficou sem prestígio. Sua imagem foi associada a idéias negativas, como estresse e distúrbios do sono.
   
Alguns estudos, aliados a programas de controle de qualidade do café consumido no Brasil, conseguiram mudar este quadro. O produto reconquistou o respeito da população. Revigorado, com novo marketing, ganhou novas versões para atingir consumidores mais exigentes: agora, você pode escolher se seu café é descafeinado, ou orgânico, ou liofilizado; granulado, solúvel, torrado e moído, torrado em grão.
    
A história do café é marcada por interessantes acasos e coincidências. Sua origem é estimada em cerca de mil anos e está associada aos árabes, que primeiro cultivaram a fruta. A região de Kafa, no Oriente Médio, parece ser o berço do café, tendo inclusive emprestado seu nome à bebida.
    
Mas interessante mesmo são os primeiros registros acerca do café, nos quais podemos perceber como a observação dos animais inspira nosso cotidiano.     
Tudo começou na Etiópia, quando um pastor percebeu que suas cabritas gostavam de comer certo fruto pequenino, vermelho e arredondado. Estas mesmas cabritas se mostravam mais espertas e resistentes depois de comê-lo.

Quando o pastor resolveu experimentar as frutas (esmagou-as com manteiga e fez uma pasta), conheceu os efeitos estimulantes do café. A versão bebida, porém, vem dos árabes.
    
Isto foi no século XV. Com o passar do tempo, o café seria não só saboreado, como estudado em seus efeitos estimulantes e revigorantes.
    

Através do comércio dos árabes com os europeus, o consumo do café foi se ampliando e, com as grandes navegações, chegou às Américas Central e do Sul.


 
< Anterior   Seguinte >
Anuncio Zsol
SegRadar
PlusPoint
Anuncio
OttoCar
Acquativa
Consulta Voo
O que falta